Belém terá mais um pronto-socorro

O prefeito Zenaldo Coutinho anunciou, na quinta-feira passada (14), a construção de um novo pronto-socorro municipal, o maior de Belém, com 369 leitos. Nos próximos 15 dias ele deverá ir a Brasília para acertar o repasse dos recursos, que devem chegar a R$ 200 milhões.

Zenaldo fez o anúncio durante visita a obras e serviços na cidade de Belém do ‘Cuida Belém, cuide também’, no bairro do Curió, na qual foi acompanhado de uma comissão de vereadores do PHS, PSC, PMDB e PR. Ele garantiu que está trabalhando para conter o caos na saúde, em resposta às denúncias feitas por uma comissão de vereadores do PSOL, do PT, do PCdoB e do PSTU, que na última quarta-feira iniciou uma série de diligências em unidades de saúde e pronto-socorros municipais. Na ocasião, a situação da saúde foi classificada de “calamitosa” e a necessidade de uma intervenção federal na saúde pública da capital foi aventada.

Para o prefeito, ainda é muito cedo para essas medidas, pois a gestão começou em janeiro e todas as situações relatadas pela comissão eram de conhecimento dele. ‘Abrimos as portas das unidades e dos pronto-socorros para essa comissão, que não poderia ter sido formada assim, porque não temos nada a esconder. Eu sei que a saúde de Belém vai mal e esse era meu lema de campanha. Graças à economia que fiz em diversos setores da prefeitura, principalmente no gabinete do prefeito, com o corte de 700 assessores, já conseguimos avanços. Mas ainda é cedo e temos muito a melhorar. Só é desnecessário falar em intervenção federal por enquanto. Eu estou visitando os locais, vendo o que precisa ser feito e estou fazendo’, disse Zenaldo.

Uma das medidas tomadas, segundo o prefeito, para solução imediata dos problemas de saúde pública em Belém, foi dobrar a remuneração dos médicos da Estratégia Saúde da Família (ESF). Das 40 equipes cadastradas no Ministério da Saúde (MS), apenas 16 trabalhavam normalmente. Os salários dos médicos passaram de R$ 4 mil (recursos do Ministério da Saúde) para R$ 8 mil (com 100% extra da prefeitura). Até o final de março, 100 equipes da ESF estarão atuando. Atualmente funcionam regularmente 52 com os novos salários para valorização profissional.





Na unidade de saúde do Curió, o prefeito constatou que a reforma está parada desde fevereiro, com a ala de expansão já bastante deteriorada. O forro está quebrado, fiações elétricas ficam expostas e os equipamentos estão inutilizados e acumulando poeira. O contrato para as obras não estava sendo cumprido e está em análise pelo Ministério Público do Estado do Pará. Zenaldo manifestou interesse em terminar logo a obra por ter dinheiro para isso, mas seria necessária a aprovação do MPE. “Pelo menos conseguimos regularizar aqui a demanda de pagamentos atrasados e falta de medicamentos e médicos. Já estamos fazendo no Curió 150 atendimentos diários e 200 atendimentos semanais de prevenção do câncer do colo do útero”, acrescentou.

O líder e presidente do centro comunitário do Curió, Marcelo Pacheco, afirmou que os serviços mais urgentes para o bairro são a macrodrenagem dos canais do Master e do Murucutu, para evitar os alagamentos. A reforma da unidade de saúde, porém, é uma necessidade imediata. “Recebemos nessa unidade pacientes dos bairros da Terra Firme, Canudos, Souza, Marco e também do Curió”, disse Pacheco. Em debate no centro comunitário, foi informado o fim do tratamento de urgência e emergência 24 horas e a paralisação da máquina de raios-X. Outras demandas da comunidade são a conclusão das obras das passagens Gaspar Dutra, São Benedito e Alzira, além de sinalização e faixas de pedestres na avenida João Paulo II. O secretário municipal de Saneamento, Luiz Otávio Mota Pereira, disse que o bairro está recebendo uma ação emergencial de limpeza dos canais e galerias, roçagem do mato, operação “tapa-buraco” e construção de duas ou três pontes de madeira.

Fonte: Portal ORM





Deixe seu comentário